João Batista Silva
CapaCapa
TextosTextos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Os Instrumentos Musicais
 
     Um bom instrumento musical eleva profissionais da arte e da cultura, o aconchego, o respaldo e a dinâmica envolvente da classe acalentadora dos momentos em que muitas pessoas se entregam, de corpo e alma às belíssimas e atraentes aspirações e inspirações aquecedoras do íntimo de muitos que acreditam na felicidade.
     O músico poderá consultar sua vocação na arte musical e optar para esse ou aquele instrumento, com variações sofisticadas, ampliações de microfonia e centenas de vantagens, que falta ensinar aos adeptos seus segredos encantadores.
     Os instrumentos e os artistas vão se familiarizando, se tornando íntimos e inseparáveis. As carícias, o apego envolvem a alma da paixão musical e transpiram momentos alucinantes através das notas musicais, que são fundamentais à essência da arte.
     Um instrumento é a complementação do outro, assim como os músicos também se identificam. São temerosos à solidão, à antipatia, às angústias, aos desagradáveis momentos assustadores, em que se deparam ocasionalmente nos longos caminhos a percorrer.
     O acordeom sanfona assanhada se entrega, se joga nos braços do artista, no colo, nas mãos e enquanto mais se apega, se familiariza, se acaricia, ela vai se soltando em suas façanhas. O rebolado aumenta em conformidade aos carinhos, os suspiros apaixonantes intensificam, se transformam em palavras, em sentimentos, em comunicações românticas, que dominam a imaginação da vontade, do saber e do poder.
     Outra muito assanhada é a viola. A sós, fica triste, indecisa, sufocada... Não se comunica. Mas quando percebe um músico de talento, que eleva o braço dela ao peito e chama por ela, evidentemente que as respostas são satisfatórias. As palavras, os sorrisos brotam como folhas das árvores, como gotas de água da chuva.
     Melhor ainda, quando se encontram viola e violão, haja coração. Não existem saudades que resistam. A viola olha para o violão, que é um grande provocador com sua masculinidade natural dos recursos envozerados e os dois se comunicam, a uma velocidade incalculável dos sentimentos e desejos.
     O trio da saudade... Acordeom, viola e violão se entregam uns aos outros nos momentos da paixão. Cada um no seu espaço, contribuindo com sua ação, alegrando a humanidade e envolvendo os corações.
     São tantos os compromissos que não se conseguem disfarçar. A viola chora e ri para o violão... a acalentar. Se o violão não perceber, a viola vai reclamar.
     Procura o acordeom para se queixar, dizendo que está de greve e não pretende cantar. Recolhida no seu canto procura se disfarçar, deixando viola e violão entenderem o sentido da paixão, mandar as tristezas irem embora e atender o que pede a vocação. Os tristes se alegrando. As alegrias se espalhando em meio a tanta gente, para o mundo se comunicando.
     Viola apaixonada, você é muito assanhada. Precisa de uma lição. Ao final desse programa eu lhe darei o meu coração, para cantar dia e noite, provando minha intenção. Quero lhe contar baixinho o segredo de minha paixão.
     Os dois se entenderam para o mundo se alegrar, jogando um nos braços do outro e convidando o acordeom (sanfona) para os auxiliarem, sabendo que a razão do amor é a causa maior que há.
     A legitimidade do amor não se consegue enganar. É por isso, minha amiga, que quero lhe contar: no repique do talento, mandar a tristeza ir embora.
     A viola indignada resolve se desculpar: Ao violão, o meu abraço. Ao cavaquinho, o meu carinho. Com o violino, fico a pensar. Qual será o meu destino? Detesto solidão e agrado do seu carinho, que me envolve de mansinho.
Bom Despacho/MG, 23 de outubro de 2004, às 06h30.
 

Obs.: Acordeão, do al. AKKORDION, pelo fr. ACORDÉON.

Designação comum a diversos instrumentos, dotados de um fole
que se comprime movimentando o ar, que faz vibrar as lâminas
metálicas das palhetas. Produzindo com harmonia os mais lindos sons.

01. ACORDEÃO, dotado de um ou dois teclados diatônicos,
executados com a mão direita, de botões,
as baixas cromáticas, com a mão esquerda.
02. ACORDEOM, brasileiro.
03. ACORDEONA, s.f. bras. espécie de acordeão.
“Para tratamentos especiais da sanfona”.
04. SANFONA, do gr. Symphonía, lat. symphonia

Fonte: Dicionário Aurélio.

 
João Batista Silva
Enviado por João Batista Silva em 14/08/2018
Alterado em 14/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras